História – Iranduba

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrEmail this to someonePrint this page
Créditos: Acervo Pessoal do Facebook do Esporte Clube Iranduba da Amazônia
Créditos: Acervo Pessoal do Facebook do Esporte Clube Iranduba da Amazônia

A história do futebol feminino de Iranduba  de acordo com  relato de  João Amarildo começou no dia 08 de dezembro de  2010 , é uma  data especial , porque um grupo de oito pessoas  esportistas tomaram a decisão de fundar um clube, sendo  eles : (Aldenir Kniphoff, Amarildo Dutra, Edu Lima, Oséas Lima, Emerson Sampaio, Carlos Castro, Juarildo Muniz, Wellison Leão).

O lugar onde seria fundado foi estudado e concluíram que a cidade de Iranduba no estado do Amazonas era mais próxima de Manaus, cidade da região metropolitana, além disso, tinham que enfrentar  as dificuldades, superar os  sacrifícios  e viver uma verdadeira aventura, pois na época não tinha a ponte, pois estava em construção e levaria  no máximo dois anos para conclusão da obra. Portanto, os meios de transporte eram a voadeira e a balsa e também. O que também implicava era os horários  para retornarem para Iranduba, era entre meia noite e uma hora da madrugada.

 Adenir fez um convite para o goleiro Tetra Campeão Mundial Cláudio Taffarel e o lateral Campeão Mundial pelo Grêmio Paulo Roberto) e teve como objetivo principal no momento de sua fundação de desenvolver o Futebol Amazonense, entre esses também com o mesmo intuito estavam  André Maciel Lima, Arnaldo Domingues, Carlos Almeida, Ítalo Fortes, Olavo Dantas, José Said, Simone Carneiro .

  O  Esporte Clube Iranduba da Amazônia (Iranduba),  oficialmente  foi fundado no dia 18 de janeiro de 2011, e federado na FAF e CBF no dia 18 de março de 2011. É um clube poliesportivo brasileiro que tem como modalidade esportiva principal o futebol. As cores do clube, presentes no escudo, uniformes e bandeira oficial, são o verde e o branco, o uniforme reserva pode ser totalmente branco ou ter listras verticais verdes e brancas. O mascote oficial do clube é o Hulk.

Créditos: Acervo Web
Créditos: Acervo Web

O clube iniciou um trabalho sério para fortalecer o futebol Amazonense e  uma equipe empenhada, por isso estão frequentemente nas principais competições de futebol do estado.

É importante ressaltar que o futebol feminino vem se destacando, sendo multicampeão amazonense e disputou por diversas vezes os principais torneios nacionais.

Notas:

Créditos: Acervo Pessoal do Facebook do Esporte Clube Iranduba da Amazônia
Créditos: Acervo Pessoal do Facebook do Esporte Clube Iranduba da Amazônia
  • O primeiro título no futebol feminino foi o Estadual conquistado no dia 9 de julho de 2011;
  • Sagrou-se bi -campeão estadual em 20 de novembro de 2012;
  • Tri-campeão no dia 15 de novembro de 2013;
  • Tetra-campeão no dia 7 de dezembro de 2014;
  • Penta-campeão no dia 7 de novembro de 2015.
  • Vice-Campeã Liga Nacional Sub-20 em 2016;
  • Campeões Universitários no Futsal e no Futebol em 2016;
  • Campões Estadual de Futsal sub-20 em 2016;

Em 2012, participou da 1ª Taça Brasil de Beach Soccer de Futebol Feminino, no Complexo da Gávea, Rio de Janeiro, onde foi Vice Campeã do Torneio Início e na 5ª Colocação geral. Também no ano de 2012 participou do Torneio Internacional Taça das Nações em Boa Vista, onde também foi Vice Campeã.

O Iranduba é a equipe estadual com o maior número de títulos do futebol feminino, com 4 conquistas do Campeonato Amazonense de Futebol Feminino e em 2015 o alviverde conquistou o estadual invicto. É o primeiro e único Clube do interior a representar o Estado do Amazonas nas competições nacionais da Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

O clube é um dos Clubes fundadores da Liga Feminina Brasileira de Futebol (LFBF), criada em 20 de Maio de 2015. Participou das cinco edições da Copa do Brasil de Futebol Feminino, em 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015. Participou das quatro edições do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, em 2013, 2014, 2015 e 2016.

No Brasileiro de 2016, o Iranduba conseguiu grande apoio do público em Manaus, atraindo 20.364 pagantes aos estádios em cinco partida, uma média de 4.072 espectadores por jogo No mais recente Ranking Nacional de Clubes do Futebol Feminino da CBF, que leva em conta o comportamento das equipes nas últimas cinco temporadas e que foi divulgado em 2015, o Iranduba é o 8º colocado, com 7.680 pontos – é o único Clube da Região Norte que está entre os 8 primeiros colocados.

O futebol feminino de Iranduba, tem alavancado a torcida. Uma torcida  aminada e que comparece nos jogos para  apoiar o time.  É dono do recorde do Brasileirão Feminino de 2016, com mais de 8 mil presentes na Arena da Amazônia, o clube mobiliza torcedores de Iranduba e de Manaus em dia de jogo. Na disputa da primeira Taça Brasil de Futebol Feminino Sub-20, em 2016, mais de 17 mil pessoas viram o Iranduba ser vice-campeão na Arena.

 Elenco de 2016:

Elenco 2016 do Iranduba  (Foto: Marcos Dantas)
Elenco 2016 do Iranduba (Foto: Marcos Dantas)

De acordo com o presidente do Verdão Amarildo Dutra,

“o projeto busca colocar a equipe amazonense em evidência num momento em que o futebol feminino é alvo de discussões e sonha com a profissionalização. Além disso, o Iranduba quer formar um time que seja competitivo a nível nacional”.

O objetivo do clube é manter-se no mínimo em 5º lugar no ranking da CBF, pelo fato que em 2017,  o  futebol feminino ganhara rumos renovadores. 

Dutra comentou sobre os reforços de peso  que  vieram através do novo diretor de futebol do clube, Lauro Tentardini, que já havia trabalhado com todas elas no Kindermann-SC.

Créditos: Acervo Pessoal do Facebook do Esporte Clube Iranduba da Amazônia
Créditos: Acervo Pessoal do Facebook do Esporte Clube Iranduba da Amazônia

O time do Amazonas manteve a base da equipe e contratou alguns reforços, a volante Djenifer, campeã da Copa do Brasil em 2015 pelo Kindermann; as volantes Sâmia Pryscila e Vitória, ex-jogadora que se destacou no último estadual pelo clube amazonense Sul-América; as atacantes Elisa e Paulinha (jogou o Campeonato Amazonense pelo Manaus); a lateral-direita Roberta e a zagueira Sorriso e para completar a equipe, o Iranduba contratou três campeãs sul-americanas sub-20 pela Seleção Brasileira: a lateral-direita Bruna e as gêmeas Karen, zagueira, e Kélen, atacante.

O técnico da equipe é Olavo Dantas, que está desde 2011 no clube, juntamente com o assistente e preparador físico José Said.

                          Iranduba e projetos de sustentabilidade

Neste segundo semestre de 2016, o Iranduba, focou também  no trabalho de integração e aproximação  junto a população do município de Iranduba com o clube, para fortalecer e serem os pioneiros do país a  desenvolverem um trabalho de conscientização e formação sobre a sustentabilidade versos um  time de futebol. O projeto é parceria com o instituto Amazonas Livre que tem por objetivo transformar em um clube sustentável, atuando e fazendo ligações entre os setores da sociedade, buscando viabilizar ações sustentáveis, assim contribuindo na elaboração de projetos e, também publicidade profissional do clube, portanto, o projeto irá contribuir na formação das atletas cidadãs.

Essa parceira tem ações significativas  por exemplo: a plantação de mudas para compensar a emissão de carbono nos jogos do time em Manaus. A ação deve priorizar não apenas a capital amazonense, mas o próprio município de Iranduba e também as comunidades tradicionais do Estado.